Dema cumprem 22 mandados por desmatamento ilegal em cidades de MT

Publicidade

Vinte e dois mandados judiciais contra uma associação criminosa que vinha agindo na extração e desmatamento ilegal de madeira, na região norte de Mato Grosso, são cumpridos nesta terça-feira (16). A Operação Ronuro é realizada nos municípios de Cláudia, Feliz Natal, Nova Ubiratã e Sorriso.

Operação Ronuro desmatamento ilegal Policia Civil de Mato Grosso

Foto: Policia Civil de Mato Grosso

A operação é realizada pela Polícia Civil de Mato Grosso, por meio da Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema). As ordens de buscas e apreensões têm como alvos endereços de pessoas físicas e jurídicas.

Conforme informações da Polícia Civil, além dos mandados de busca e apreensão, os locais ondem funcionam as madeireiras serão bloqueados e terão as atividades suspensas, até o término das investigações.

Operação Ronuro desmatamento ilegal Policia Civil de Mato Grosso

Foto: Policia Civil de Mato Grosso

Investigações começaram em 2019

Segundo a Polícia Civil, as investigações tiveram início no segundo semestre de 2019, após denúncias de que pessoas envolvidas no comércio de madeira na região estavam praticando ilícitos ambientais e fazendo a extração ilegal na Estação Ecológica Rio Ronuro.

Após a pandemia da Covid, no mês de fevereiro de 2022 as diligências foram intensificadas pela Dema para identificar os agentes responsáveis pelo dano ambiental, com a extração e desmatamento ilegal da vegetação nativa preservada na estação ecológica situada em Nova Ubiratã.

A apuração, destaca a Polícia Civil, revelou que a associação criminosa cometia o desmatamento visando lucro financeiro a qualquer custo, com a destruição da vegetação e sem se preocupar com os danos ambientais, a fauna e tampouco a sociedade local e mato-grossense.

Operação Ronuro desmatamento ilegal Policia Civil de Mato Grosso

Foto: Policia Civil de Mato Grosso

Os indícios apontam que integram esse grupo investigado, agentes políticos, madeireiros, empresas transportadoras, pessoas físicas e jurídicas, que vinham se beneficiando com a extração, desmatamento e o comércio das madeiras retiradas ilegalmente da Estação do Rio Ronuro.

“A área conta com uma biodiversidade de extrema importância para o meio ambiente e este tipo de ação humana, quando excede os limites da lei, prejudica o espaço natural e as espécies que ali vivem, além da sociedade como um todo”, destacou a delegada titular da Dema, Liliane Murata.

O cumprimento das ordens judiciais nesta terça-feira (16) conta com apoio da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), e Instituto de Defesa Agropecuária (Indea), além das equipes policiais das Diretorias do Interior e de Atividades Especiais.

 

Editado por: Viviane Petroli, de Rondonópolis (MT)

_____________________

Clique aqui, entre em nossa comunidade no WhatsApp do Canal Rural Mato Grosso e receba notícias em tempo real

Popular