Eles propõem que a água cinza, de chuveiros e pias, possa ser utilizada na agricultura: o que pode ser irrigado? | Nacional

Publicidade

A iniciativa, que está a ser analisada na Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados, visa “reduzir entre 30% e 45% o consumo de água potável, através da reutilização da água cinzenta tratada. A anterior, através de sistemas de filtragem e desinfeção” .

Em meio à crise hídrica, a Câmara dos Deputados avança com projeto que busca viabilizar o uso do chamado “água cinza” para irrigação na agricultura.

Detalhadamente, “água cinza” é aquela que vem de banheiras, chuveiros, pias, lava-louças, lava-louças e lava-roupas.

Projeto de irrigação de lavouras agrícolas com água cinza ou reciclada

Há poucos dias, a Comissão de Agricultura aprovou em geral um projeto que modifica a Lei 21.075. O texto regulamenta a coleta, reutilização e descarte de “água cinza”, promover seu reaproveitamento na agricultura.

A iniciativa visa “reduzir entre 30% e 45% o consumo de água potável, através da reaproveitamento de água cinza tratada. O anterior, através de sistemas de filtragem e desinfecção.

Segundo nota da Câmara dos Deputados, isso “melhoraria substancialmente a vida dos usuários, proporcionando uma fonte alternativa nos períodos de recuperação dos poços”.

Para isso, seriam aplicados sistemas de turnos para irrigação das lavouras ou entre os períodos que separam o abastecimento de água por meio de caminhões-tanque.

preocupações

Durante a discussão, Os parlamentares expressaram várias preocupações.

Eles expressaram dúvidas sobre como as associações de usuários de água acessarão esses direitos de uso da água cinza. O mesmo sobre quais seriam os pontos de coleta e devolução.

Adicionado a isso foram perguntas sobre Quantos recursos contemplará este regulamento e se está contemplado o apoio do Estado. A ideia é esclarecer quem assumirá os custos dessa implantação.

O presidente da Comissão de Agricultura, deputado Juan Antonio Coloma (UDI), indicou que as indicações serão recebidas até segunda-feira, 29 de maio. Além disso, na próxima sessão da instância, a Ministra de Obras Públicas, Jessica López, apresentará.

O que poderia ser espalhado se este projeto progredisse

Segundo o relatório da Câmara, para o risco com “água cinza” -caso o projeto avance- “Frutas e vegetais que crescem ao nível do solo ou são geralmente consumidos crus pelas pessoas estão excluídos.”

Tampouco podem ser usados ​​naqueles que servem de alimento para animais. Eles podem transmitir doenças que afetam os seres humanos.

Nesse sentido, a modificação proposta refere-se ao termo “silvoagropecuário”. O anterior para incorporar também o setor florestal, em particular, o irrigação de viveiros e cultivos de plantas lenhosas.

Adicionalmente, o projeto de lei contempla uma disposição transitória, que estabelece que, no prazo de um ano, contado da publicação da lei, as normas que permitam sua correta execução devem ser adaptadas.

“Essa adaptação regulatória deve estabelecer os requisitos e padrões que a água cinza tratada deve atender, para garantir que não sejam gerados efeitos à saúde.manteve o relatório.

Quanto à utilização de “águas cinzentas” para rega agrícola, a mensagem refere que é permitida a utilização na rega de culturas agrícolas, salvo as já isentas por lei, e de espécies arbóreas ou arbustivas de fruto.

“A restrição também abrange cereais, culturas industriais, viveiros, culturas de plantas lenhosas, culturas ornamentais, culturas de flores, prados ou pastagens e produção de sementes”finalizou o relatório.

Popular