Este artista canta em seis línguas diferentes com IA

Publicidade

Quando a Hybe, gigante do entretenimento por trás do grupo K-pop BTS, anunciou novo artista, o mundo da música toma nota. A Hybe não domina apenas o K-pop. É também a empresa controladora de Justin Bieber e Ariana Grande, entre outros artistas, graças à aquisição da Ithaca Holdings, em 2021.

Então, quando a Hybe trouxe, no início deste mês, novo projeto de IA para seu selo Big Hit Music envolvendo um artista chamado Midnatt, entusiastas do K-pop e observadores da indústria começaram a especular se este seria um grupo inteiramente gerado por IA. A resposta é não, mas com um porém.

Leia mais:

Midnatt é, na verdade, o alter-ego de Lee Hyun, um marco de longa data da cena musical da Coreia que está com a Hybe desde 2005, quando era chamado de Big Hit Entertainment, oito anos antes da estreia do BTS.

Embora os antigos fãs de K-pop conheçam a voz de Hyun – seja em seus sete anos como membro do grupo misto 8eight, oito anos como metade da dupla Homme, ou em uma de suas inúmeras aparições em competições de canto na TV – eles nunca a ouviram nestas muitas línguas. Seu novo single, “Masquerade”, foi lançado simultaneamente em coreano, inglês, espanhol, chinês, japonês e vietnamita.

Em entrevista à Fast Company, Hyun afirmou que, “embora minha nova identidade possa parecer desconhecida para os fãs, meu objetivo sempre foi alcançar o público global. Superar as barreiras linguísticas seria o primeiro passo nesta jornada”.

Midnatt – que pode ser traduzido como “meio da noite” em sueco ou “cara nua” em coreano – marca a primeira colaboração entre uma das gravadoras da Hybe e a Hybe IM, seu braço de mídia interativa.

Para o projeto, os dois usaram a tecnologia da Supertone, empresa de síntese de voz de IA que a Hybe adquiriu no ano passado por US$ 36 milhões. A companhia foi criada pelo especialista em processamento de linguagem e aprendizado de máquina, Lee Kyogu, atual CEO da empresa de IA. A Supertone é capaz de reproduzir com precisão a voz de um cantor, enquanto permite uma série de ajustes.

A “tecnologia do Supertone não apenas oferece variedade de opções de síntese de voz, mas também permite ajustes precisos para cada elemento que constitui uma ‘voz’”, diz o produtor da faixa, Hitchhiker, também conhecido como Choi Jin-woo.

Para garantir que as faixas multilíngues soem como se estivessem sendo cantadas por um falante nativo, Hybe diz que a Supertone foi capaz de alternar os dados de voz de Midnatt com os de um narrador nativo. Coube a Choi misturar manualmente as duas vozes para garantir que os vocais em outros idiomas mantivessem a emoção da versão coreana.

As capacidades da Supertone até permitiram que Midnatt aparecesse em sua própria faixa com voz de mulher, que aparece no segundo verso. É algo que Choi diz que poucas ferramentas existentes são capazes de fazer mantendo a clareza vocal.

“A ferramenta da Supertone pode produzir conteúdo de alta qualidade com erros próximos a zero em comparação com outras ferramentas que costumam produzir som distorcido de acordo com a faixa de afinação”, diz ele.

Usar o Supertone para lançar um novo artista de K-pop globalmente e em sua “própria” voz é um movimento natural paraca Hybe. A empresa é uma das forças motrizes por trás da base de fãs mundial do K-pop.

Lee Kyogu, CEO da Supertone

As legiões de fãs do BTS em todo o mundo, conhecidas coletivamente como ARMY, chegam a dezenas de milhões (pelo menos). O novo grupo feminino da Hybe, NewJeans, que estreou há menos de um ano, tornou-se o grupo K-pop mais rápido a atingir 1 bilhão de streams no Spotify.

Encontrar artistas de K-pop que possam falar – e cantar – para esses fãs globais em seus próprios idiomas é uma prioridade crescente.

Com o BTS fazendo pausa temporária como um grupo enquanto seus membros começam a cumprir seu serviço militar obrigatório na Coreia do Sul, o presidente da Hybe, Bang Si-Hyuk, está olhando ainda mais adiante. “Há muito duvido que as entidades que criam e produzem música continuarão sendo humanas”, disse ele à Billboard em entrevista recente.

“Não sei por quanto tempo os artistas humanos podem ser os únicos a satisfazer necessidades e gostos humanos. E isso está se tornando fator-chave para minha operação e uma estratégia para a Hybe.”

Apesar da utilidade de gravadoras e artistas adaptarem músicas ao público, as ferramentas de síntese de voz de IA, como a Supertone, têm estado sob crescente escrutínio, à medida que um número crescente de músicas não sancionadas que replicam vozes famosas chega à Internet.

Uma recente música construída com IA, de Drake e The Weeknd, chamada “Heart on My Sleeve”, acumulou 10 milhões de visualizações no TikTok e um quarto de milhão de streams no Spotify em poucos dias antes do Universal Media Group, o selo que representa os dois artistas, o removê-lo por violação de direitos autorais.

Lee diz que a Supertone não permite que sua tecnologia seja usada pelo público em geral e garante que qualquer pessoa cuja voz esteja sendo sintetizada tenha permitido.

Ele também diz que a empresa está explorando uma maneira de discernir as vozes reais das sintéticas. “Embora este seja um empreendimento altamente desafiador, estamos comprometidos em aprimorar nosso algoritmo de detecção existente para aplicação em situações do mundo real”, disse.

Quanto ao Midnatt, ele está empolgado por fazer parte do programa da Hybe: “Estou na indústria da música há algum tempo e espero que minha opinião sobre esse desafio deixe um impacto significativo em outros artistas, assim como a jornada de Neil Armstrong deixou uma impressão duradoura.”

Com informações de Fast Company

Popular