EUA garantem que retomarão negociações para limpeza adicional de Palomares

Publicidade

  • Os Estados Unidos estão dispostos a tomar as terras radioativas da cidade.

  • em 1966 dois aviões americanos que colidiram sobre este distrito de Almeria e um deles lançou quatro bombas termonucleares na área.

EUROPA PRESS O secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, garantiu esta quarta-feira que as negociações com a Espanha para avançar para um limpeza adicional do terreno contaminado pelo acidente de Palomares (Almeria) em 1966 “Eles serão retomados em breve”, sem oferecer um prazo.

Esta questão foi uma das que ele abordou com o Ministro dos Negócios Estrangeiros, José Manuel Albares, no encontro que ambos tiveram em Washington e que serviu de preparação para o encontro desta sexta-feira na Casa Branca entre o presidente do Governo, Pedro Sánchez, e o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden.

Blinken reconheceu a “importância” do tema e lembrou que os Estados Unidos já realizaram trabalhos de limpeza na área afetada pelo quatro bombas termonucleares lançadas por um dos dois aviões americanos que colidiu neste distrito de Almeria há quase seis décadas.

Assim, avançou que “as negociações para realizar esforços adicionais de limpeza será retomado em breve” Embora não tenha especificado quando, ao mesmo tempo garantiu a disposição dos Estados Unidos de abordar esse assunto com a Espanha.

Por seu lado, Albares valorizou justamente a disposição de ambas as partes de dialogar para resolver um problema antigo como a contaminação de Palomares. O ministro sublinhou que é “uma questão complexa” e que “questões técnicas” ainda precisam ser resolvidas antes que uma decisão final possa ser tomada.

Os aspectos técnicos, defendeu, “devem ser discutidos a nível técnico” e não político e, uma vez que isso aconteça, podem ser estabelecidas as fases para proceder à limpeza de terras contaminadas e a transferência dessas terras para os Estados Unidos, apontou, sem querer esclarecer se isso poderia acontecer antes do final deste ano.

A questão de Palomares será uma das que serão abordadas Sanchez e Biden esta sexta-feira, como tinha adiantado a Moncloa, que não quis fazer disparar os sinos sobre um eventual acordo em resultado da nomeação. No entanto, fontes do governo reconheceram que houve avanços nos últimos meses e confiaram que os dois presidentes podem dar um “empurrão” no assunto.

Declaração de intenção de 2015

O Governo enviou em março passado, por meio do Ministério das Relações Exteriores, um pedido formal ao governo Biden para proceder à remoção das terras contaminadas de acordo com um declaração de intenções alcançada em 2015 com Mariano Rajoy em Moncloa e Barack Obama na Casa Branca.

Em outubro de 2015, o então secretário de Estado, John Kerry, e o ministro das Relações Exteriores, José Manuel García-Margallo, assinaram em Madri uma declaração de intenções na qual ambos os países comprometeram-se com uma “grande reabilitação” dos arredores de Palomares e realizar a transferência de solo contaminado para um “local adequado” nos Estados Unidos.

Apesar do referido acordo, nos últimos anos não houve avanços, o que levou o atual governo a retomá-lo e pedir formalmente ao Washington para cumprir o que foi acordado então. Embora Blinken tenha manifestado a vontade dos Estados Unidos de tratar do assunto, resta saber se será feito de acordo com o que já foi acordado na época.

Nesse documento, a Espanha expressou seu desejo de “maior reabilitação do ambiente de Palomares”, enquanto os Estados Unidos expressaram seu desejo de “fornecer a assistência necessária para alcançar esse objetivo”. Para isso, os dois governos tiveram que “negociar um acordo vinculativo para estabelecer um esforço cooperativo” para a referida reabilitação e concordou com “o depósito de terra contaminada em um local adequado nos Estados Unidos”.

Popular