Exposições e concertos audiovisuais dialogam com a inteligência artificial no novo ciclo do NAVE | Artes e Cultura

Publicidade

Em colaboração e aliança com o Mirador Interactive Museum, a Chilean Video Corporation, a Santiago Media Arts Biennial e a Pro Helvetia Swiss Foundation for Culture, o NAVE apresenta “Overflow”, um ciclo que dialoga entre artes midiáticas, artes visuais, música e tecnologia.

Ciclo de transbordamento presente em NAVE Center seu primeiro marco: Gesto digital; uma curadoria especial que acolhe novas formas de relações sociais, afetivas e intelectuais entre corpos físicos e virtuais.

Em diálogo com pesquisas que trabalham com ferramentas de inteligência artificial, nesta sexta-feira, 12 de maio, às 19h, o NAVE inaugura a exposição “Technophilia”, uma coleção de obras do artista Blahblahblasfemia que explora a relação da humanidade com a tecnologia e seu impacto em nossas vidas. Esta coleção mostra um humano e um robô em uma atitude íntima e erótica no que parece ser uma cena de amor.

Naquela mesma noite, às 20h. Overflow apresenta “Conexões Transitórias”, um concerto audiovisual da dupla Hypereikon (María Constanza Lobos e Sebastián Rojas) e Kami Govorcin.

O concerto combina visuais gerados por inteligência artificial, síntese de vídeo e música eletrônica para criar uma experiência sensorial abstrata que evoca temas de efemeridade, virtualidade e interconectividade.

Na compra do ingresso ($4.400) disponível no ticketplus, está contemplado o acesso às duas atividades.

Por fim, no dia 26 de maio, às 19h, o NAVE recebe a exposição gratuita do artista argentino Joaquina Salgado “Reserva Digital”, uma instalação interativa que contorna o arriscado encontro entre as políticas digitais do afeto e do controle em que hoje estamos submersos.

A “Reserva Digital” estará também disponível para visitas gratuitas durante a comemoração do Dia do Património, dia 28 de maio, das 11h00 às 17h00.

TRANSBORDAR
cedido

Novas linhas curatoriais para o NAVE

Overflow faz parte das novas linhas curatoriais do NAVE, marcadas por uma abertura para outras linguagens artísticas. Sobre essa virada na programação, a curadora principal do primeiro marco de “Desborde: Gesto Digital”, Cecilia Checa, destaca que: “O ciclo DesbordeE tem a particularidade de investigar o que acontece não só com nossos próprios corpos, mas com os novos corporalidades que aparecem no plano digital”.

Da mesma forma, a diretora artística e executiva do NAVE Jennifer McColl indica “é na diversidade de formas que a relação entre arte e tecnologia nos permite onde aparecem interesses particulares pelo virtual, o digital, o maquínico, os artefatos e dispositivos como potências para o transbordamento de nossos contextos e realidades”

Overflow: Gesto Digital assumirá a agenda do NAVE ao longo de maio e planeja novos marcos para o segundo semestre de 2023.

Popular