Feira no Piauí discute clima e integração de tecnologias no setor produtivo

Publicidade

Exposoja

O primeiro dia da 14ª edição da ExpoSoja, a maior feira agrícola do estado do Piauí, contou com a presença de produtores e empresários da região e de outros estados.

O evento, que se estende até sábado, destacou o conhecimento e as novas tecnologias na indústria agropecuária.

O meteorologista e professor Luiz Carlos Molion foi um dos destaques do dia, apresentando uma palestra sobre as previsões e perspectivas para a safra 2023/2024. Molion abordou o clima e o que os produtores podem esperar até março de 2024.

” Neste trimestre, entre abril e junho, esperamos uma quantidade um pouco acima do normal de chuvas. No entanto, outubro será um pouco mais seco, enquanto novembro será dentro da média e dezembro terá precipitações acima da média. Encerrando o período, entre janeiro e março, teremos uma quantidade um pouco abaixo do esperado, resultando em aproximadamente 700 a 800 milímetros de chuva ao longo do ano. Além disso, estamos entrando em um período de resfriamento que se estenderá até 2034-2035. Pessoalmente, não espero enfrentar nenhuma seca grave ou prolongada no Nordeste até 2034″, diz Molion.

Com mais de 100 expositores que abrangem diversos segmentos do setor produtivo, a ExpoSoja 2023 tem como um dos principais objetivos disseminar conhecimento e apresentar tecnologias aos produtores. Máquinas, equipamentos, serviços e soluções estão em destaque em cada estande, oferecendo oportunidades para o desenvolvimento da produção.

A busca por conhecimento e novidades é constante entre o público da ExpoSoja, que inclui membros do setor produtivo do Piauí e de várias partes do Brasil. Segundo a organização, representantes de pelo menos 15 estados brasileiros estarão presentes na feira.

“Como temos uma ampla variedade de cultivares disponíveis, os próprios produtores têm a oportunidade de explorar essa diversidade. Além da integração lavoura-pecuária, podemos também trabalhar com essas cultivares, introduzindo inovações. Cada cultivar lançada é cuidadosamente desenvolvida para atender cada vez melhor às necessidades e aumentar a produtividade. Atualmente, nossa maior preocupação é garantir a produção de alimentos no Brasil”, afirma Junior Xarão, gerente comercial da América Sementes.

Popular