Ministra Valenzuela destaca queda dos preços dos alimentos, mas admite que ovos vivem outro cenário | Economia

Publicidade

A bandeja de ovos é mais cara por vários motivos, entre eles a gripe aviária, a época do ano e a perda de um número significativo de produtores locais.

O Ministro da Agricultura, Esteban Valenzueladestacou a queda de preços que ficou evidente nas últimas semanas nos alimentos que compõem o cesta básica.

Claro, e em diálogo com o programa “Express Bio Bio” de Rádio Bio Bio, a autoridade explicou que no caso dos ovos a situação é diferente. E detalhou os motivos.

De acordo com o último relatório do Executivo, em abril o valor da cesta básica registrou queda mensal de 0,5% e situou-se na $ 64.031.

O número consolidou a tendência de queda na variação acumulada em doze meses do indicador, medida que caiu pelo quarto mês consecutivo, situando-se em 15,7%: “o melhor resultado desde abril de 2022 e quase 12 pontos a menos que em janeiro deste ano”o governo manteve.

“O pão, que custava US$ 2.000 (o quilo), já está em algumas partes em US$ 1.550. E o milho, que custava US$ 350 o quilo, agora custa US$ 220.”comentou Valenzuela em entrevista ao La Radio, acrescentando que as carnes brancas estão com preços mais convenientes há pelo menos 2 meses.

Na mesma linha, ele lembrou que o petróleo custava pelo menos o dobro do valor há algum tempo; e isso já se estabilizou.

Valenzuela também destacou que existem alimentos que aumentam por motivos sazonaiscomo o tomate nesta data do ano.

Ovos não baixam de preço

O chefe da Agro enfatizou a situação do ovosque, ao contrário, estão em alta (bandejas de 30 unidades por mais de US$ 7.000).

“Os ovos são uma situação especial e difícil. No ano passado, o milho custou US$ 350 o quilo; e alguns 25 pequenas e médias empresas produtoras de ovos retiraram-se do mercado ou reduziram significativamente o número de frangos”ele começou a explicar.

Por isso, disse, “houve uma quebra na produção nacional. (…) Além do mais, em ovos há pouca importância”.

A gripe aviária, por sua vez, afetou o 4% da produção deste produto.

Valenzuela também esclareceu que neste outono-inverno e por motivos de luz, as galinhas põem menos ovos.

A tudo o que foi dito, acrescenta-se que no inverno essa proteína é mais consumida, portanto, a demanda é maior.

De acordo com o relatório da cesta básica elaborado pela Subsecretaria de Avaliação Social, as principais quedas no preço dos alimentos foram observadas “no peru moído, maçã, banana e alface”.

Em relação aos alimentos que registraram os maiores aumentos em seus preços “São destaques os substitutos do café, tomate, ovo de galinha, leite em pó integral instantâneo e água mineral”.

Popular