STF ratifica decisão de cancelamento de show do Aerosmith: produtor deve devolver 100% do dinheiro | Artes e Cultura

Publicidade

Seis anos depois do festival Santiago Rock City, a produtora The Fan Lab deve reembolsar aqueles que exigiram a devolução do dinheiro após a desistência do Aerosmith.

O Suprema Corte rejeitou os recursos, na forma e no mérito, interpostos contra a sentença que condenou as empresas Recreation Productions SpA (O Fanlab) e Bilhete Ponto SA em consequência da violação da lei de proteção dos direitos do consumidor após a suspensão da exibição de Aerosmith no festival Santiago Cidade do Rockem setembro de 2017.

A decisão foi tomada pela Primeira Câmara do tribunal superior, integrada pelos ministros Arturo Prado, Mauricio Silva, os ministros María Angélica Repetto, María Soledad Melo e o advogado interino Raúl Fuentes, e nela qualquer tipo de erro na decisão foi descartada sentença proferida pelo Tribunal de Apelações de Santiago.

“Que de acordo com o exposto fundamentado, do exame da decisão impugnada depreende-se que não é efetivo que a prova, em sua totalidade, não tenha sido valorizada pelos juízes substantivos, posto que foi por eles analisada e ponderada fundamentadamente, conforme pode deduzir-se da leitura de todos os fundamentos do acórdão recursal”, lê-se num trecho do acórdão, disponível na plataforma do Judiciário.

“Com efeito, a leitura das considerações do Juízo de primeiro grau revela o raciocínio por trás de sua decisão de rejeição das defesas dos réus”, afirma sobre a resolução, aprovada com voto contra da Ministra María Angélica Repito.

Com isso, após o recurso de The Fanlab e Puntoticket ficar sem efeito, a produtora deve devolver 100% do dinheiro de quem exigiu a devolução.

A medida é adotada 6 anos após a conclusão do Santiago Cidade do Rockevento que anunciou a saída do Aerosmith apenas quatro dias após a realização do show.

depois do ocorrido, Sernac recebeu mais de 2 mil reclamações pelos consumidores que, após a alteração das condições do espetáculo, solicitaram a devolução integral do dinheiro pago pelos ingressos.

Acrescenta a resolução: “Esclarecido o exposto, verifica-se que o recorrente pretende que este Tribunal proceda a uma nova apreciação da prova apresentada, de modo que, para o provimento do seu recurso, requer o estabelecimento de outro pressuposto fático, que evidencia-se ao afirmar que os juízes “não formularam presunções a esse respeito, havendo elementos mais do que suficientes para isso, que servem para materializar a realidade dos fatos”.

Popular