Twitter lança DMs criptografadas, mas não para todo mundo

Publicidade

A rede social de Elon Musk lançou DMs (mensagens diretas) criptografadas, primeiro, aos usuários verificados do Twitter Blue – assinatura que oferece selo azul às contas (daí o nome). Além de oferecer verificação, pacote dá acesso antecipado a assinantes para recursos novos.

Leia mais:

O Twtter acrescentou, numa postagem publicada na página de suporte da plataforma, que esse recurso está disponível para usuários verificados com a versão mais recente do aplicativo instalada – tanto em celulares Android quanto iPhones e computadores.

Mensagens criptografadas

Montagem com telas de conversa no Twitter com mensagens criptografadas
(Imagem: Divulgação / montagem: Pedro Spadoni/Olhar Digital)

Como disse Musk, quando se trata de DMs, padrão deveria ser: “se alguém apontar uma arma para nossas cabeças [de funcionários do Twitter], ainda assim não poderemos acessar suas mensagens”.

Esse tipo de mensagem é uma nova forma de comunicação no Twitter, que aparecerá como conversas separadas, juntamente às DMs existentes na caixa de entrada do usuário.

Funciona assim: a versão mais recente dos aplicativos da rede social gera um par de chaves específicas do dispositivo, chamadas de par de chaves pública e privada. A chave pública é registrada automaticamente quando um usuário faz login no Twitter num novo dispositivo ou navegador; a chave privada nunca sai do dispositivo e, portanto, nunca é comunicada ao Twitter.

iPhone com imagem da logomarca do Twitter com fundo azul aberta
(Imagem: XanderSt/Shutterstock)

Além dos pares de chaves público-privadas, há uma chave por conversa que é usada para criptografar o conteúdo das mensagens. Os pares de chaves público-privadas são usados ​​para trocar a chave de conversa com segurança entre dispositivos participantes.

Empregamos uma combinação de esquemas fortes para criptografar cada mensagem, link e reação que fazem parte de uma conversa criptografada antes de saírem do dispositivo do remetente e permanecem criptografados enquanto armazenados na infraestrutura do Twitter. Depois que as mensagens são recebidas pelos dispositivos destinatários, elas são descriptografadas para que possam ser lidas pelo usuário.

Twitter, em artigo publicado na sua página de suporte

Empresa acrescentou que pretende abrir o código de implementação das DMs criptografadas e descrever a tecnologia “em profundidade” num whitepaper técnico que deve ser publicado ainda em 2023.

Twitter Blue

Montagem com selos azuis de verificação do Twitter empilhados
(Imagem: Getty Images)

O Twitter Blue é um serviço de assinatura premium da rede social. Seus preços partem de US$ 8 (aproximadamente R$ 40 na cotação atual, em conversão direta) ao mês ou US$ 84 (R$ 420) ao ano nos países disponíveis.

Ao assiná-lo, todos os recursos ficam disponíveis imediatamente – exceto o selo azul. Este, segundo a empresa, aparece em “perfis elegíveis, após revisão para garantir que a análise das contas com assinatura atendam aos requisitos”.

Entre os recursos (leia-se: vantagens) do Twitter Blue, estão:

  • Editar tweets;
  • Tweets mais longos;
  • Redução de anúncios;
  • Autenticação em duas etapas via SMS;
  • Upload de vídeos longos.

Com informações do Twitter (DMs criptografadas e Twitter Blue)

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

Popular