Últimos dias do ’50×50. A Obra Interrompida’: 3 bairros com 50 anos de nossa história | Artes e Cultura

spot_img

Anúncios

Com um telemóvel, uns auscultadores e um leitor de QR code, os participantes são convidados a percorrer diferentes pontos da cidade e a completar com as suas memórias os últimos 50 anos da nossa história. Os pontos de partida das três visitas guiadas são o Centro GAM, o Centro Cultural La Moneda e a Fundação Salvador Allende, nas vozes de Paly García, Héctor Morales, Angélica Martínez, Patricio Rodríguez-Plaza, Ismael Valenzuela, Josefina Cortés e María Siebald .

“50X50. A obra interrompida” é uma exposição imersiva de três estações Futuro (GAM), Poder (Centro Cultural La Moneda) e Interrupção (Fundação Salvador Allende) e que une artes cênicas, artes visuais, antropologia e museologia.

Os três áudio-tours guiam o transeunte pelas ruas, prédios e vestígios de uma cidade que, este ano, comemora os 50 anos do Golpe de Estado no Chile.

experiência 50x50
Foto: Angelina Dotes

Tendo como ponto de partida o Centro GAM, o Centro Cultural La Moneda e a Fundação Salvador Allende, “50X50. A obra interrompida 1973-2023” explora essa fronteira difusa que relaciona o passado e o presente, e nos convida a pensar no futuro. É um exercício de memória em formato site specific, um tipo de obra artística pensada para um determinado local.

Esta atividade, gratuita e sem necessidade de inscrição, decorrerá até domingo dia 28 de maio, de terça a domingo das 11h00 às 18h00 (o último passeio começa às 17h00). Cada percurso dura aproximadamente 45 minutos e é ativado através do download de códigos QR que estão disponíveis em cada estação (GAM, CCLM e FSA) e nos folhetos que são entregues no início de cada percurso.

Um trabalho interdisciplinar

50×50 A Obra Interrompida é realizada no âmbito da comemoração do Golpe de Estado de 1973 e financiada com contribuições do Fondart 2022, “50X50. A obra reúne profissionais das artes visuais, teatro, museografia e antropologia em torno desse exercício de memória conduzido pelo antropólogo social Pablo Andrade e pela atriz Angélica Martínez.

As turnês de áudio, escritas por Rodrigo Canales, incluem as vozes de Paly García, Héctor Morales, Angélica Martínez, Patricio Rodríguez-Plaza, Ismael Valenzuela, Josefina Cortés e María Siebald.

Até à data, mais de 800 pessoas já fizeram parte desta experiência comemorativa que culminará no dia do património com novas experiências performativas que farão parte dos passeios durante esse fim de semana.

equipe criativa

Curadoria e Direção Geral:
Paulo Andrade Branco

Direção Artística:
Angélica Martinez e Rodrigo Canales

Script Audio-tours:
Rodrigo Canales

Espaço sonoro:
Daniel Maraboli

Artes visuais:
Michelle Piaggio e Roberto Farriol

Teoria dos Estudos Culturais:
Patricio Rodriguez-Plaza

Museografia:
Laura Gandarillas

Produção e Comunicação:
Maria Luisa Vergara

Redes sociais:
Tomás Allendes, Daniela Campos, Antonia Catalán, Valentina Godoy e Nicolás Santelices

Vozes:
Paulina García, Héctor Morales, Angélica Martínez, Patricio Rodríguez-Plaza, Ismael Valenzuela, Josefina Cortés e María Siebald

Projeto e layout:
consolação polanco

Publicado em

artigos RECOMENDADOS

Aplicativos para Simular Maquiagem

Se você gosta de testar diferentes looks e estilos de make, você está no...

Melhores Apps de Bate-papo e Namoro para Pessoas com Mais de 50 Anos

Encontrar conexões significativas é importante em qualquer fase da vida. Para pessoas com mais...

Aplicativo Manual do Eletricista

No mundo moderno, a eletricidade é essencial em nossas vidas diárias, e saber lidar...