Um cuidador acusado de abuso afirma que uma das vítimas era “obcecada” por ele

Publicidade

  • O homem, trabalhador da residência, é acusado de abusar de dois usuários com deficiência mental e de fazer vídeos sexuais.

  • “Ele me mandava fotos nuas, que eu apagava, e me ligava sem parar.”

EUROPA PRESS / PALMA A cuidador acusado de abusos sexual para dois Usuários de uma residência de pessoas com incapacidade negou ter fotos e vídeos feitos de conteúdo sexual e tendo abusado deles ao acrescentar que um dos vítimas era “obcecada” por ele.

O Primeira sessão da Tribunal Provincial de Palma celebra nesta segunda e terça-feira o julgamento contra o zelador que assegurou, respondendo apenas aos questionamentos de sua defesa, que foi o vítima aquele que o enviou as fotos e vídeos. “Ele me mandava fotos nuas, que eu apagava, e me ligava sem parar”, disse ela. Ele indiciado ha negado assim seja o autor de fotos e vídeos de conteúdo sexual.

Em relação a uma segundo vítimaque supostamente teria tocado o seiosafirmou que apenas uma noite acorde para que vai levar a medicamento. O arguido explicou que no registro jornal do centro em que trabalhado duas vezes deixou aviso do transtorno de conduta do primeira vítimasuas tendências”nomofóbico“e do”obsessão“Eu estava pegando.

Porémadicionou, só soube da reclamação quando foram prendê-lo. Nesse ponto, ele lamentou que o endereço do Centro não deixá-lo saber que ele tinha apresentado o reclamação. Nesse sentido, a portaria que arquivou o reclamaçãoem sua declaração como testemunhaexplicou que cEle conhecia os fatos porque o companheiros “Eles pensaram que algo complicado poderia estar acontecendo.”

Segundo a testemunha, o mensagens e as imagens implicava uma “relação diferente daquela de um cuidador e uma do utilizador“, embora tenha matizado que ele estava se referindo a eles de acordo com o que ele transmitido as companheiros e que ela não viu o suposto imagensporque a vítima “Eu sempre os apaguei.”

outras testemunhas, companheiros do indiciadoque trouxe os fatos à atenção da administração, explicou que vEram comportamentos “inadequados”bem como conversas Whatsapp constantes do vítima com ele indiciado. O testemunhas explicaram que as conversas e os imagens eram deletado imediatamente então eles afirmaram que Eles não viram as imagens.

Popular